Páginas

Imensidão de mim

Eu passei minha vida toda escondida no meu quarto, quietinha, tentando não fazer barulho algum, na esperança de fazer o mundo esquecer que eu existo, e enfim deixar de existir. É cansativo manter essa pose toda de quem não sente, mas eu sinto, e sinto muito. Sinto demais por tudo o que eu perdi, e por tudo o que eu nunca tive. Por tudo o que eu tenho, e tudo o que eu gostaria de ter.

Hoje é um daqueles dias em que nada me conforta,  tudo me destrói. Eu não suporto mais esse vazio que eu carrego dentro de mim. Todos os dias é uma tortura acordar. Não faz sentido. Estar viva não faz sentido pra mim. Eu não tenho nada, eu não tenho ninguém. E tudo está fora de foco, eu não consigo entender o que está acontecendo ao meu redor. Eu não sei onde estou, e nem quem eu sou. Costurei um sorriso falso no meu rosto pra evitar perguntas. Porque não há motivos para estar aqui, céus, não há como ser feliz. E eu sinto vontade de cuspir na cara de  pessoas que falam "você deve ser feliz por conseguir falar e andar" mas eu não sou! Será que eu posso me sentir infeliz sem alguém me dizendo que meus motivos pra isso são fúteis?

Eu sou pequena demais pra suportar essa dor que eu sinto. Eu sou ignorante demais pra entender que isso é uma fase. Até quando tento me convencer de que não sou uma pessoa perdida, mas sim que estou perdida, machuca. Porque eu não sei como me encontrar nesse imensidão de mim.


Um comentário:

Obrigada por vir aqui! Sinta-se abraçado/apertado/esmagado ♡