Páginas

Pesquisar este blog

Me entenda, ou me deixe sozinha


“O caminho é este, tem pedra, tem sol, tem bandido, mocinho, tem você amando, tem você sozinho, é só escolher, ou vai, ou fica. Eu fui.” — Martha Medeiros.
Eu costumo ser uma pessoa noturna. Certamente, se eu morasse sozinha, eu seria aquela sua vizinha louca que liga o som e começa a cantar e dançar as duas da manhã. Eu gosto da escuridão, e da calmaria que a madrugada me faz sentir,  é quando minhas ideias começam a fazer sentido... É quando eu posso me sentir e deixar as ideias fluírem, sem medo de que alguém tente me arrancar do meu mundo.

Não troco a minha visão das estrelas pela realidade que as manhãs trazem. 

Nem o silêncio, que sempre me proporciona uma ótima leitura, por risos falsos, sentimento ensaiados. 

Em algum momento, eu me tornei uma sentimentalista. Do tipo que não gosta de aniversários, e escolhi não ter nada para não ter o que perder. Alguns dizem que eu não sei do que se trata a vida, e que eu durmo pra fugir da realidade. Mas pra mim, é o contrário. Eu durmo, pra poder sonhar, sem medo de ralar os joelhos - ou o coração. Realidade pra mim é sofrimento. São pessoas tristes, andando sem rumo em becos escuros. Eu não gosto do que vejo, então eu escolhi sonhar, criar o meu mundo e viver com a necessidade de mim. Viver em histórias de livros, com sentimentos de músicas e mocinhos de filmes. 

Escolhi ser quem eu sou, não o que as pessoas querem que eu seja. Desde então, perdi o medo de chorar, de mostrar a minha fragilidade. Não vou mentir, é difícil ouvir as críticas. E dói. E dá vontade de desistir. De sumir. Mas eu não vou. Eu vou olhar para as estrelas, e elas vão me ouvir, mesmo sem falar nada. E eu vou lembrar das vezes em que a minha mãe disse que me ama, ou ás vezes em que o meu pai brigou comigo. Das intrigas com a minha irmã, da admiração que a minha irmãzinha sente por mim. Do meu gato roubando o meu lugar na cama! Então, vou querer ficar. Lutar mais. Sentir mais. Chorar mais.  Por todas as lembranças boas, e todas as histórias que eu ainda preciso ouvir. 
  
  
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por vir aqui! Sinta-se abraçado/apertado/esmagado ♡