Páginas

A minha relação com a internet

Quando eu era criança, internet pra mim era um sonho distante. Do tipo que eu só usava na escola, pra entrar no site da turma da mônica em aulas livres. O primeiro computador que eu tive, nem foi meu. Minha irmã comprou, e era enorme, branco, e o que tinha de mais legal nele era o paint. Isso foi em 2003, e ter um computador era "wow, nossa". Eu lembro de que a minha irmã, só usava a internet nos fins de semana, por internet discada. Mas era o máximo ter aquilo em casa.

Eu comecei a me interessar mais um tempo depois, lá pra 2006, porque eu queria entrar no site do RBD, de qualquer jeito! E demorava horas pra conectar a internet, e mais horas para o site carregar. "vai logo aí, menina! Tem que ligar o telefone! E se alguém ligar? E se for urgente? Cuidado com a conta!". Eu nem sonhava com internet banda larga. Antes de ter o meu computador, eu era ignorante demais pra saber dessas coisas. Mas mesmo assim, era só diversão, passatempo, nada que eu adorasse. 

Daí, o computador pifou. Buf. Tchau. (e aparentemente, eu levei a culpa, porque eu salvava fotos demais do RBD, pode?)

E incrivelmente, depois disso, as coisas começaram a avançar. Computador não era mais coisa de gente rica. Internet discada? Nunca! Foi quando eu ouvir falar do Orkut e MSN pela primeira vez. Confesso que não entendia o conceito daquilo tudo, mas se as minhas amigas falaram que era legal, oras "pode fazer o meu cadastro", eu disse. 

O Orkut ainda era a base de convites. E no cadastro, eu lembro que eu deveria fornecer um apelido, e foi "nana rbd". O meu primeiro msn, era uma beleza só! Não tinha nome de desenhos, nem artistas, mas era o máximo que uma garota de 11 anos como eu era, iria pensar. Depois disso, eu entrava muito raramente em ambos. Só quando ia na casa da minha amiga que criou as contas, e a foto do meu perfil era da Dulce Maria. Mas era legal. Sério. Demais.

No  final do ano seguinte, 2007, eu ganhei o meu primeiro computador. Lindíssimo! Preto, tela LCD, e o mais importante: Minha mãe colocou banda larga. SIIIM!! <3 ainda naquela ano, computador era um "artigo de luxo", e a minha mãe praticamente parcelou em todas as vezes que pode. Eu lembro que ela repetia muito sobre a importância do computador nos meus estudos, mas eu não entendia o que ela queria dizer. 

Naquele ano, eu comecei a me afundar. O computador virou um vício. Eu criava cada vez mais perfis no Orkut com fotos dos meus ídolos, o que depois eu entendi como Fake. Não sei se você já ouviu falar, ou já teve um, mas era uma coisa muito louca. No início, eu conheci pessoas com fotos reais, mas depois, eu fui criando o meu mundinho. Adotando filhos no fake, arrumando namorados e até mesmo primos/primas/irmãs/tios. E eu queria estar lá, 24 horas por dia. 

(Pode parecer muito estranho, mas no fake tinha tudo. Jornal de fofocas, famílias, competição... Tudo o que existe na vida real.)

Tive fake de 2007 até 2011. Eu tinha muitos perfis avulsos, que eu não tinha paciência de cuidar... Tipo, ficar puxando conversa, fazer amigos porque eu já tinha um com tudo isso, e as pessoas gostavam de mim. E eu só estava sendo eu mesma.

Com a foto de outra pessoa, e um nome fictício. Mas sendo eu mesma. 

Conquistei tantos amigos, que não poderia contar nos dedos. O meu auge foi em 2009, quando entrei para a moderação de uma comunidade de avaliações, muito famosa no fake. Era a Adote Um Capenga. Foi definitivamente, um divisor de águas. Mas também foi o meu "fim do poço". Ao mesmo tempo que eu tinha muita atenção do fake, fora da internet, eu tinha mudado de escola, e a vida virou uma bagunça pra mim. Talvez por isso, eu preferisse ficar na internet, ao invés de viver


Eu não gosto de pensar que essa experiência me tirou tempo de vida, ou algo do tipo. Na verdade, eu aprendi tanto no meu mundo virtual, que eu não poderia tentar descrever; é impossível. Tenho algumas amigas que conheci lá, que estão comigo até hoje, e nós ainda não nos vimos! Continua sendo amizade gratuita  sem esperar nada em troca. Algumas amizades que conquistei no fake, são muito mais reais do que as que eu conquistei "pessoalmente".

Ao mesmo tempo em que eu perdi, eu ganhei.

Agora, eu sei separar as duas realidades muito bem. Ser popular online, não te faz melhor do que eu em nada. Só prova que você passa muito mais tempo nas redes sociais do que eu. E esse é um dos meus motivos, para não me concentrar 100% no blog, na divulgação, ou em algo do tipo. Quero que continue sendo uma diversão, não uma guerra de números. Eu não sou um site. Eu sou uma pessoa. Você pode ganhar presentes porque você tem um blog de sucesso, mas você não é o seu blog.


11 comentários:

  1. Nossa, o seu post me lembrou o meu primeiro computador, enorme e sem internet! Não dava para fazer nada com ele tadinho, a não ser "brincar" no paint e digitar trabalhos da escola. Como as coisas mudaram em tão pouco tempo, né?

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Fala sério, quem iria imaginar que 10 anos depois todo mundo ia ter tablets e smartphones?

      Excluir
  2. olá adorei o blog .......tá rolando um sorteio lá http://blog-cantinhodamulher.blogspot.com.br/ passa lá pra conferir! bjs...

    ResponderExcluir
  3. Meu primeiro pc eu ganhei quando tinha 4 anos, e só sabia vestir bonequinhas em sites, e ficar desenhando no paint. E confesso que meu site preferido era o da turma da Mônica haha
    E quando tinha que esperar 00:00 pra acessar a internet? Lembro que de sábado depois das 14 hrs era de graça! :P
    Bjs

    http://suicide-queen.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simm!!! Além de internet discada, só em fim de semana, porque era de graça kkkkk

      Excluir
  4. mas você ta falando da sua vida ou da minha? kkk
    eu tbm passei pela discada, papai nao deixava a gnt mexer.
    eu mexia na escola e entrava num site chamado Humor Tadela.
    E mais tarde eu conheci o orkut que precisava de convite. e o msn.
    tambem tive varios fakes mas nunca fui popular por la. mas mesmo assim ficava muito por la. e eu conheci a tal da Adote um Capenga!!! kkkk
    eu nunca me conformei com pessoas que choravam em off pelos fakes.
    pra mim sempre foi uma brincadeira, tipo the sims! rsrsr
    beijos fofa!
    http://www.biancagsnunes.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiiiii, que legal! Tens uma história parecia com a minha, sos <3
      Muita gente que levava o fake mais a série do que a vida real, mas éramos uma bando de crianças! hihi

      Excluir
  5. Nossa cara, falou tudo que eu pensava, com exceção do "fake" que sempre achei uma coisa esquisita e de certa forma uma farsa, mas até que descobri algumas amigas minhas que tinham e percebi que não era bem daquele jeito, elas eram reais mas de um jeito diferente. Não que eu as tenha entendido porque na minha concepção, a menos que tenhamos vivido podemos julgar. Adorei seu texto e a nostalgia e a melancolia pairou aqui. Muito bom.
    Beijos, Mariana Nascimento
    sendopeculiar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho normal, muita gente que nunca teve fake, até hoje pensa que é tudo uma farsa, que eram hackers, sei lá. Mas era real demais.
      Obrigada por ler tudo, mari! :D

      Excluir
  6. Ótimo esse post, Naiady. O primeiro computador que eu tive foi em 2002 e nem tinha acesso a internet, o que eu mais fazia era desenhar no paint e jogar campo minado. kkkk. Em 2007 ganhei um computador usado da minha tia e minha mãe botou banda larga, mas como o computador era velho tudo demorava muito pra carregar. Foi nessa época que criei o orkut e o msn. Em 2008 minha irmã me deu um computador novinho em folha e então tudo mudou. Foi aí que o meu blog surgiu (o antigo Bloguinho das Patricinhas). Desde então nunca mais parei de blogar. Nunca consegui ter mais de mil fãs e ser a famosinha da internet e acho que isso está bem longe de acontecer. Hoje em dia o computador já virou algo tão normal pra mim que tem dias que nem sinto vontade de ficar online. kkk. A única coisa que anda me incomodando é que acho que o Facebook já deu o que tinha que dar e está mais do que na hora de surgir uma nova rede social. kkkkk
    Bom, só pra avisar que voltei a postar, mas agora tudo mudou. O I Simply não existe mais. Ele transformou em Mais amor, mais livros. Um blog totalmente literário. Quando puder dá uma passadinha lá pra ver.
    Beijooos
    Blog Mais amor, mais livros
    Facebook
    Youtube
    Skoob

    ResponderExcluir
  7. Muito lindo o seu blog, seu tema, seus posts, tudo! Amei, de coração. Continue assim, sucesso!

    http://estabanada.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada por vir aqui! Sinta-se abraçado/apertado/esmagado ♡